Aguarde, carregando...

Em alusão ao Junho Violeta, Seciju mobiliza blitz educativa sobre tipos de violência contra a pessoa idosa e como denunciar

Ação será realizada terça-feira, 14, com a distribuição de folders informativos em instituições e espaços públicos.

Por Luís Poeta

13/06/2022 14:59h

O “Junho Violeta” é uma campanha mensal dedicada ao combate e enfrentamento à violência praticada contra a pessoa idosa, culminando Dia Mundial da Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, em 15 de junho, data instituída pela Organização das Nações Unidas. Neste período, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) reforça a importância de sensibilizar a sociedade de modo a promover a autonomia, a integração e a participação efetiva desse grupo, além de garantir os direitos fundamentais dos idosos.

Para a gerente de Diversidade e Inclusão Social da Seciju, Verônica Salustiano, “ter essa data alusiva é muito importante, pois a violência contra a pessoa idosa é silenciosa em nossa sociedade, principalmente quando observamos a negligência e a tratamos com a gravidade que necessita”, afirmou a gerente. Além disso, Verônica detalha que a dignidade da pessoa humana deve ser observada em toda sua dimensão e em todas as fases da vida, “envelhecer com acesso às necessidades essenciais e tratamento digno é um direito de todos e precisamos falar sobre isso”, afirmou.

Ação

Para chamar a atenção para o tema, além de alertar acerca dos tipos de violência contra a pessoa idosa e como denunciar, a Gerência de Diversidade e Inclusão Social da Seciju realizará uma blitz educativa nesta terça-feira, 14, com a distribuição de folders informativos sobre como identificar a violência contra a pessoa idosa e os principais canais de denúncia nas secretarias do Estado e locais de circulação de idosos.

Identifique os tipos de violência

É necessário estar atento aos sinais de violência e saber onde denunciar as violações sofridas. “Todos podemos contribuir com essa luta quando conseguimos identificar uma situação de violência e como podemos auxiliar para que ela não mais ocorra. É preciso denunciar, mas também mudar a forma como enxergamos a pessoa idosa na sociedade, como alguém que tem seu lugar, direitos e voz” ressaltou a gerente de Diversidade e Inclusão Social da Seciju, Verônica Salustiano.

Saiba como ocorrem algumas das principais violências contra a pessoa idosa:

Negligência: quando os responsáveis pelo idoso não ofertam os cuidados necessários, como higiene, saúde, medicamentos, e proteção contra frio ou calor;

Abandono: é a negligência extrema, a ausência ou omissão dos familiares ou responsáveis, governamentais ou institucionais, de prestarem socorro a um idoso que precisa de proteção;

Violência física e/ou sexual: quando há o uso de força para obrigar idosos a fazerem o que não desejam, ferindo, agredindo, provocando dor, incapacidade ou até a morte; além de obrigar o idoso a participar de atos sexuais ou práticas eróticas contra a sua vontade;

Violência psicológica/emocional: apesar de sutil, também é muito perigosa. Inclui comportamentos que prejudicam a autoestima ou o bem-estar do idoso, dentre eles, xingamentos, sustos, constrangimento, destruição de propriedade ou impedimento de que vejam amigos e familiares.

Abuso ou violência financeira: é a exploração imprópria ou ilegal dos idosos ou uso não consentido de seus recursos financeiros e patrimoniais.

Canais de denúncia

Além desses exemplos citados acima, ter atenção se o idoso apresenta um semblante de descuido, marcas no corpo mal explicadas ou sinais de quedas, de modo que seus responsáveis pareçam indiferentes a isso. Tudo isso pode caracterizar uma possível violência e maus tratos, sendo que qualquer suspeita pode ser denunciada pelos seguintes canais:

Disque 100

·         Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa – (63) 3218-2058

·         Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa - (63) 9932-5215

·         Delegacia de Vulneráveis – (63) 3218-6891

·         Polícia Militar – 190